Análise do DVD de Ivete no Madison pelo fã Gary

Ivete no Madison Square Garden - Detalhes e Curiosidades

Croqui Ivete Sangalo by Basso & Brooke / Madison Square Garden NY.O croqui sempre é feito tendo como padrão o corpo de uma modelo!

Estou abrindo esse tópico para reunir todos os detalhes a respeito do show que gerou o mais novo DVD de Ivete. Existem detalhes que o grande público e a maioria dos fãs não tiveram acesso ou não sabem.

Por exemplo, tem gente que acha que a construção do espetáculo foi feita de qualquer jeito. E que o figurino também não transmite mensagem alguma. Outros não sabem os profissionais envolvidos e o quanto foi marcante uma artista latina lotar o Madison esgotando ingressos meses antes do concerto.

 
Ballet
Vou começar com um ponto interessante: O ballet. O afastamento de Lino, para que Jorge Silva assumisse o ballet foi uma das melhores idéias para esse dvd. Jorge Silva soube construir muito bem o corpo de baile, através de audições, e soube elaborar danças muito bonitas que ajudaram a compor o espetáculo. Tive uma grata surpresa ao me deparar com Daniela Penna, dançando no ultimo bloco. E na ficha técnica, notei que ela foi a segunda coréografa. Pra quem não conhece os dois citados, Jorge Silva é um coreógrafo prestigiado em Salvador, inclusive, elaborou algumas coreografias para Daniela Mercury (inclusive da ultima turnê, Canibália). Daniela Penna, era percussionista de Daniela Mercury, é bailarina e mulher de Alexandre Lins. Ela ja havia dançado com Ivete em um Festival de Verão.

Ainda na ficha técnica, notei que Ivete fez aulas de Salsa numa academia aqui de Salvador. As coisas pelo visto não foram tão simples assim. A dança nesse espetáculo foi algo muito bem pensado. Fizeram a dança fazer parte do show. Por mais que Ivete na hora do show tenha ficado nervosa e deixado em alguns momentos a coreografia de lado, pela emoção, ficou algo bonito de se ver porque vez ou outra ela conseguia retomar com facilidade os passos.

Os blocos e os figurinos dessa vez foram mais pensados do que nas outras ocasiões. Colocaram tudo num contexto. Tudo naquele palco tinha uma mensagem a ser transmitida.

Tribal termocrômico
O primeiro bloco é eletricidade pura. Então juntaram uma roupa futurista, mas que ao mesmo tempo fizesse alusão às raizes. É o famoso "tribal termocrômico". A alusão direta a MAd Max é inevitável, principalmente para aqueles que curtem Tina Tunner. Eu me arrepio quando vejo Ivete descendo as escadas, tirando a "coroa", como se fosse uma rainha de uma tribo indo para a guerra. Acho que só e somente Ivete, segura esse tipo de visual carregado sem que sua música vire segundo plano.

*Alguem viu a canga de Clodô (dançarino) quase caindo? hahahaha

Outro ponto interessante, é a construção da coreografia de Dalila, onde as dançarinas iniciam como se fossem lavadeiras... prestem atenção... o acessório (pano) não está ali a toa nas mãos delas. Ah, e na primeira levantada de Ivete ela se desequilibrou! haahhaha


Bahia Barroca
No bloco Latino vocês notaram a riqueza de detalhes de tudo? Desde a capa utilizada por Ivete que tinha estampa de um teto de igreja, afinal, a roupa chamava "Bahia Barroca", desde a maneira que ela e o balé dança, até a maneira como Jaguar toca o violão?

As imagens no telão fazem alusão imediata aos países latinos. Jaguar toca perto do chão, como os tradicionais violonistas espanhois e argentinos... e a roupa do ballet transmitia um drama tão grande, que a alusão imediata era à imagem das viúvas espanholas. Eu fico meio sem palavras pra falar do bloco Latino, porque pra mim foi um dos blocos de shows mais bem construídos da carreira de Ivete.

Falando em construção de espetáculo, Ivete também foi buscar outro grande profissional da área. Gil Alves, durante anos foi backing, dançarino, coreógrafo e diretor assistente de Daniela Mercury. Atualmente estava sendo backing do Jammil. Gil Alves auxiliou na concepção do espetáculo como um todo. Pelo visto, ele que já estava letrado nisso, ajudou a por no papel junto com Alexandre(Lins) as idéias de Ivete e fazer com que o show tivesse um roteiro.


           Watusi, cantora brasileira dos anos 70, Ivete Sangalo com vestido Diva Disco

Diva Disco
Quer um exemplo? Pode parecer coincidência, mas Ivete com o vestido de "Diva Disco" fez uma referência a uma personalidade marcante da noite parisiense. A Brasileira Watusi, que foi considerada a vedete mais bem paga da Europa. Watusi que utilizava aquele tipo de adereço com penas na cabeça. A Watusi era brasileira, negra, com voz forte e presença de palco marcante, e se apresentava no Moulin Rouge.

Esse bloco do show de Ivete, faz alusão ao Blaxploitation, que foi um movimento cinematográfico e musical que surgiu nos anos 70. Os filmes eram dirigidos por diretores negros, e seus atores também eram negros. Mas o que chamava atenção nesses filmes era a trilha sonora com arranjadores, produtores e cantores negros. Dos mais famosos, Quincy Jones e James Brown. E pra não perder o fio da meada, Ivete faz a imediata referência ao Blaxploitation fazendo uma ligação entre a Watusi (brasileira, negra, que era referência no showbizz da Europa nos anos 70), com a Blaxploitation e toda a influência da black music no seu som, cantando uma música de um dos ícones criados pela gravadora Motown, Michael Jackson.

A referência nesse bloco é toda da black music, seja em samba rocks, ou em samba reggaes. Se a referência da roupa aliando data e acontecimentos foi coincidência, eu não sei. Mas não acho que tenha sido coincidência vendo quem são so profissionais envolvidos nesse show.

As simbologias que a gente acha no show são várias. La Isla Bonita, de Madonna foi a primeira referência que me veio em mente, na música "Darte".

Clip 'La Isla Bonita - Madonna'


Gran Finale
Tem os detalhes do último bloco também, que é o bloco lúdico do show. A roupa, como ja falaram é uma referência ao Panis Et Circenses (Tropicalia) e ao Yellow Submarine. Notem como Ivete faz caras e bocas durante o bloco inteiro... até a maneira de dançar é debochada. Veja a maneira como ela entra no palco em Berimbau, com a barriga estufada pra frente. Veja como ela dança em Qui Belê... notem como o ballet se comporta de forma debochada o bloco inteiro. O ballet dança debochada, sorrindo o tempo inteiro de forma até espalhafatosa, rs. A própria Daniela Penna dá um show de caras e bocas.

*Alguem percebeu Samantha Schmutz dançando na plateia em Berimbau? rs

Inclusive, a temática de cassino, apresentada nos telões, em Berimbau, não está ali a toa. Meu pai foi o primeiro a dizer que aquilo parecia o "mundo de informações" que existia no Cassino do Chacrinha. Acho que Ivete nesse bloco quis mostrar qual é a sua função na música brasileira. O bloco é explosão de cores e alegria pura. E muito deboche. E culmina com a saída da cantora sendo carrega por balões e o ballet tentando alcançá-la.

Eu queria saber o motivo da Daniela Penna só dançar no ultimo bloco, notem que na reza, ela já está com a ultima roupa. O que me faz pensar que o último bloco necessitava de mais bailarinos, e que ela ficou lá dentro, durante o show, para ajudar nas trocas de figurinos do ballet e dar informações através do ponto eletrônico. Cada bailarino está com um ponto eletrônico. Provavelmente, recebendo instruções da produção, de Jorge Silva e de Daniela Penna, coreógrafos do show.

Nick Wickham e a Ivete dançarina
O que vale ressaltar é que o trabalho do Nick, o diretor de imagens, é captar os ângulos, ele coloca as câmeras, capta o show da maneira dela, com a qualidade dos equipamentos dele. E os pontos da plateia que seriam mais interessantes numa arena como o Madison, que só profissionais gringos conhecem toda a estrutura.

A escolha de imagens, depois, no estúdio, é feita pela equipe de Ivete em conjunto com a equipe dele. Logo, a equipe de Ivete que seleciona as imagens. O Nick imprime o estilo dele apenas nessa escolha da equipe de ivete. O dinamismo dele aparece até quando tem Ivete dançando... justamente porque o barato é mostrar o espetáculo como um todo. O Ballet, Ivete dançando com o Ballet, e o Ballet dançando sem Ivete. Porque se vocês não percebem, em muitas faixas as coreografias dos homens eram diferentes da coreografia das mulheres e Ivete sabia partes de cada uma. E por outras vezes ela esqueceu de dançar, em razão do nervosismo. Mas conseguia retomar às vezes.

Eu achei tudo tão profissional, que cada hora que me deparo com algo diferente, fico boquiaberto. Eu achei a edição de imagens incrível.

Comentário do fã Tharso
Adorei isso aqui (tópico). Tive que assistir de novo o DVD pra prestar atenção em todos os detalhes ditos aqui, principalmente toda a influência dada a este espetáculo.

Observação - ISNews
Essa análise foi retirada de um tópico no Orkut, o fã Gary expõe sua análise crítica pessoal do DVD. O tópico é para falar dos detalhes e curiosidades do DVD Ivete ao vivo no MSG.

Fonte: Comunidade Ivete Sangalo