'Tenho consciência do meu valor', diz Daniel Cady, marido de Ivete Sangalo


Enquanto Ivete Sangalo (40) dançava sua valsa de debutante com 15 convidados especiais no Festival de Verão, em Salvador, na última semana, seu verdadeiro príncipe, o marido Daniel Cady (27), acompanhava o baile na companhia de amigos e familiares. Tímido, ele não cogitou conduzir a mulher no palco. Já pelos bastidores circulou sorridente, cumprimentando quem o reconhecia. "Não gosto dessa exposição, não. Não fico à vontade", justifica.
Sempre discreto e reservado – mas não chato, como ressalta entre risos -, Daniel diz que prefere 'ficar na sua' e conta que ‘sofreu’ para gravar um depoimento à mulher, exibido no Domingão do Faustão. Em bate-papo com CARAS Online no backstage do evento, ele explicou por que o filho, Marcelo, raramente aparece. "Acredito muito em energia negativa, essa coisa de olho gordo". Falou ainda sobre ciúmes, assédio e a vontade de aumentar a família. “A gente quer muito. É um desejo meu e dela. Com fé em Deus vai dar certo. Vai vir logo”.

Confira a entrevista!

Você pensou em ser um dos príncipes e dançar a valsa com a Ivete?
- Não gosto dessa exposição, não. Não fico à vontade de fazer isso e ela sabe disso. Na verdade, para mim nesses encontros eu reúno amigos e familiares. Já sei como vai ser o show, o que vai ter. Mas foi muito legal a ideia da dança.

No começo de janeiro o Marcelo participou de um show da Ivete, cantou... Como foi para você ver seu filho no palco?
- Foi um dia que estava um monte de primos lá em casa, sobrinhos da Ivete. Ele dorme cedo, mas nesse dia viu todo mundo se arrumando e quis ir também. Ele ficou bem à vontade. A gente não sabia qual seria a reação dele, mas ele é igual a ela.

Você é ciumento?
- Ciumento todo mundo é, mas sou equilibrado. Com o Marcelo, não acho que deva haver exposição. Nem eu nem ela achamos, por ele ser muito pequeno. Acredito muito em energia negativa, essa coisa de olho gordo. A gente não tem a intenção de fazer dele uma pessoa famosa. Não acho bom para uma criança crescer assim.

Você é bem reservado e aparece sempre sério...
- Eu não sou chato (risos), só sou na minha.

Você acha que alguns pacientes procuram seu trabalho como nutricionista para dizer que se consultam com o marido da Ivete? Como uma ‘grife’?
- Isso não é problema para mim, não. Acho que algumas pessoas até podem ser. Para mim, ser marido da Ivete é motivo de orgulho e eu tenho consciência do meu valor.

Ela já declarou que é uma ‘quenga entre quatro paredes’. Você fica constrangido com declarações como essa?
- Eu já conheci a Ivete assim. Ela é brincalhona, espontânea. Não tenho nenhum tipo de constrangimento.

Você é muito assediado pelas mulheres?
- Não sou muito assediado, não. As pessoas me respeitam, graças a Deus. Sempre que me reconhecem tratam com muito carinho, é uma coisa positiva. E eu me exponho muito pouco.

Ela já declarou que está ‘praticando’ para aumentar a família. Quando vem um irmãozinho para o Marcelo?
- A gente quer muito. É um desejo meu e dela. Com fé em Deus vai dar certo. Vai vir logo.

Fonte: Caras